Página Inicial - AleaPágina Inicial
O que é...
S.O.S.
Perguntas frequentes
e-ALEA
Estatística divertida
Factos em números...
Biblioteca ALEA
Encontros ALEA
Ligações úteis
Mapa do sítio
Regista-te 
 
Calculadora
Glossário
Combinatória

actualidades

 

DESPESAS MÉDIAS ANUAIS DOS AGREGADOS FAMILIARES

As expressões sublinhadas encontram-se explicadas no final do texto

Evolução na década

A evolução da estrutura das despesas dos agregados familiares portugueses ao longo da década de 90 foi marcada pela decrescente importância relativa da classe respeitante a "Produtos alimentares e bebidas não alcoólicas" que, em 1989, 1995 e 2000 representou, respectivamente, 29%, 21% e 19% da despesa total (a preços correntes). Pela primeira vez, em 2000, esta classe cede a primazia, em termos de posição relativa no conjunto da despesa, à "Habitação; despesas com água, electricidade, gás e outros combustíveis" (20% do total). Em terceira ordem de grandeza surgem os "Transportes", que pesaram 15% na despesa dos agregados, tal como em 1989 (16% em 1995). Deste modo, as três principais classes de despesa abrangeram 53,4% da despesa média anual dos agregados em 2000.

 

Evolução do peso das principais classes de despesa, em Portugal (estruturas a preços correntes)

Estrutura da despesa média anual dos agregados familiares, em Portugal, em 2000

Escalão etário do representante do agregado

A análise de resultados por escalão etário do representante do agregado evidencia a situação desfavorável da população idosa, na medida em que, para os agregados familiares cujo representante tinha 65 ou mais anos de idade, o nível da despesa global foi metade dos valores observados para o escalão dos 30 aos 64 anos. As classes de despesa relativas a "Transportes" e a "Lazer, distracção e cultura" representaram, para o escalão etário mais elevado, apenas 31% dos valores observados no escalão anterior. Relativamente a "Saúde", embora os valores da despesa tivessem sido aproximados entre os dois escalões etários citados, constata-se que, em termos proporcionais, pesaram mais do dobro, ou seja, 8,7% da despesa global dos agregados familiares cujo representante tinha 65 ou mais anos, face a 4,3% para os agregados do escalão anterior. Mais detalhadamente, é possível ver que a maior fatia da despesa dos idosos em "Saúde" se destinou a "Medicamentos, aparelhos e material terapêuticos" (5,8% do total da despesa, quando a média nacional se situou em 2,9%).

 

Distribuição percentual da despesa média anual dos agregados familiares nas principais classes de despesa, por escalão etário do representante do agregado, em 2000

Nível de instrução do representante do agregado

Verifica-se haver uma relação directa entre o nível de escolaridade completado e a despesa. Com efeito, os agregados cujo representante completou formação superior apresentaram, em 2000, um nível de despesa médio (30 391 euros) 42% superior aos que completaram o ensino secundário, 81% acima dos que completaram os 2º ou 3º ciclos, 136% superior aos que terminaram o 1º ciclo, reflectindo ainda um acréscimo de 344% face aos agregados cujo representante não completou qualquer nível de ensino (6 839 euros).

 

Despesas médias anuais dos agregados e estrutura das despesas, segundo o nível de instrução completado pelo representante do agregado

Para saber mais...

Agregado (doméstico privado) / Agregado familiar - Por agregado (doméstico privado) entende-se qualquer uma das seguintes situações: · conjunto de indivíduos que reside no mesmo alojamento e cujas despesas habituais em alojamento e alimentação são suportadas conjuntamente (orçamento comum), independentemente da existência de laços de parentesco; · indivíduo que ocupa integralmente um alojamento, ou que, partilhando-o com outros indivíduos, não satisfaz a condição anterior (orçamento comum). De acordo com a definição dada, os casais residindo com os pais e os hóspedes com pensão alimentar são incluídos no agregado se as suas principais refeições forem, habitualmente, suportadas pelo orçamento comum. As empregadas domésticas internas são, também, consideradas membro do agregado.

Representante do agregado - é deixado à livre escolha, dos membros do agregado, a indicação do indivíduo que revelar ser o mais conhecedor das características dos restantes indivíduos, bem como dos moldes de funcionamento do agregado em termos de compras efectuadas, serviços requisitados e despesas de funcionamento regulares.

Esta Actualidade foi elaborada tendo como base o Inquérito aos Orçamentos Familiares 2000 (IOF), cujo período de observação foi a quinzena (todas as que decorreram de 17 de Janeiro de 2000 a 14 de Janeiro de 2001). Os principais objectivos do IOF são a actualização da estrutura das despesas de consumo dos agregados familliares e a obtenção de informação sobre as condições de vida das famílias. A amostra para o Inquérito (12 098 unidades de alojamento) foi seleccionada a partir da Amostra-Mãe que é uma amostra de unidades de alojamento, destinada a servir de base de sondagem para os inquéritos a realizar pelo INE junto das famílias. Os resultados do IOF estão disponíveis em: http://www.ine.pt

 

[ página inicial | factos em números | dossiers e recursos | noções de estatística ]
[ noções de probabilidades | galeria virtual | estatística trivial | ligações úteis | escreve-nos ]